Lentes de óculos

Lentes para astigmatismo, miopia e hipermetropia

Cada tipo e intensidade de grau leva a escolhas específicas de armação e de materiais de lentes. Leia também os artigos sobre a escolha das armações e peça auxílio do técnico óptico para escolher a mais adequada ao seu grau.

As lentes de miopia têm borda mais grossa do que o centro, por isso, armações com aros grandes tendem a fazer com que os óculos tenham o aspecto de fundo de garrafa e fiquem mais pesados, quando o grau é muito elevado. As lentes de astigmatismo requerem que a armação fique muito bem posicionada, isto é, os óculos não podem movimentar muito sobre o rosto e não podem ficar tortos, senão as lentes de astigmatismo saem da posição correta e deixam de funcionar adequadamente. Para corrigir astigmatismo, geralmente são contra-indicadas as armações muito frágeis, do tipo "lentes aparafusadas", porque os óculos costumam ficar frouxos com o passar do tempo e as lentes saem do posicionamento ideal. A óptica pode apertar os parafusos ou ajustar os óculos sempre que for necessário, mas é um trabalho que pode ser dispensado com uma escolha adequada do tipo de armação.

As lentes de grau muito elevado ficam muito espessas na borda (miopia) ou centro (hipermetropia). O ideal é a escolha de lentes de alto índice refrativo para atenuar o prejuízo cosmético e o peso. Além disso, nesses casos, o tratamento anti-reflexo pode ajudar a diminuir o aspecto de "espelho" que essas lentes mais fortes criam.

Sempre que trocar de óculos, é bom verificar a "curva base" dos óculos antigos com o esferômetro para facilitar a adaptação com as novas lentes de óculos.

Para entender o que são miopia, hipermetropia e astigmatismo, leia o artigo na seção de "problemas oculares"

 

Proteção contra raios Ultra-Violeta (proteção UV):

O Sol não emite apenas a luz visível. Existe uma radiação muito perigosa, denominada ultra-violeta, que também é produzida pelo sol e que pode levar a sérios problemas: catarata, pterígio ("carne crescida nos olhos"), câncer da pele das pálpebras, degeneração da retina (fundo do olho), irritação permanente dos olhos (disfunção lacrimal, pinguécula etc., que podem ser irreversíveis), entre outros.

Os efeitos da radiação UV são cumulativos, isto é, quanto maior a exposição, maior o risco de lesão. Por isso, é fundamental usar óculos de boa qualidade, com proteção máxima contra a radiação ultra-violeta, especialmente na nossa região, onde a radiação ultra-violeta tem índices extremamente elevados.

Importante: a proteção UV não depende da cor dos óculos! Os óculos comuns, transparentes (ou brancos), também podem e devem ter a proteção UV. Da mesma forma, óculos escuros de má qualidade não têm proteção UV e, portanto, não protegem os olhos.

As lentes escuras de má qualidade, de procedência duvidosa, podem prejudicar a saúde dos olhos porque não protegem contra a radiação ultra-violeta. Como a luz deixa de incomodar devido à cor escura, a pessoa abre mais os olhos, expondo-os mais à radiação. Por isso, diz-se que óculos de má qualidade fazem mais mal do que ficar sem usar óculos algum.

Compre seus óculos em ópticas confiáveis, que vendem lentes certificadas pelos órgãos competentes. Agindo assim, você diminui a chance de ter doenças oculares mais graves e posterga o eventual aparecimento de problemas.

(uma curiosidade: os cânceres de pele do tipo basocelular e espinocelular, diretamente relacionados à exposição solar, são mais freqüentes nas pálpebras, dorso do nariz e superfície superior da orelha)

 

Lentes de Cristal

As lentes de cristal são também conhecidas como lentes minerais. Geralmente são mais pesadas em graus positivos altos. Riscam menos facilmente, mas são mais frágeis e podem se quebrar. Existe a possibilidade de endurecer a lente de cristal, isto é, de "temperar a lente", a fim de se tentar diminuir o risco de quebrar.

 

Lentes de Policarbonato

São mais leves do que as de cristal e também mais resistentes a impactos, porém, são mais susceptíveis a arranhões ("riscos".) Todas as lentes de policarbonato, mesmo as transparentes sem cor nenhuma, já têm boa proteção contra raios ultra-violeta. Essas lentes podem ser indicadas para as armações de "parafuso" (lentes aparafusadas diretamente nas "perninhas" dos óculos, sem aros). Elas podem receber tratamento anti-abrasivo para resistir melhor aos arranhões mas, mesmo assim, devem ser limpas com cuidado. Nos graus mais altos, é bom considerar a aplicação do tratamento anti-reflexo. (Obs: o tratamento anti-reflexo geralmente deixa a lente mais frágil para manchas, embaçamentos ou arranhões, o que leva à diminuição da vida útil dos óculos. O tratamento anti-reflexo de boa qualidade, associado com tratamento anti-abrasivo, melhora um pouco a vida útil dos óculos).

Por serem extremamente resistentes a quebra, são as lentes mais indicadas para crianças ou pessoas que sofrem risco de acidentes na região dos olhos durante a prática esportiva ou no trabalho.

 

Lentes Orgânicas

As lentes orgânicas são as mais usadas devido ao baixo preço, embora risquem-se com muita facilidade. Particularmente, só as recomendamos para os casos em que se sabe que os óculos em questão serão temporários, isto é, usados por pequeno período de tempo - planejando-se trocá-los no futuro próximo (exemplos: pacientes em convalescença de cirurgia ocular, em que se sabe que o grau vai mudar em pouco tempo, pacientes com diabetes descompensado que têm urgência em usar algum tipo de óculos, pessoas que perdem óculos com facilidade etc.).


Além dos materiais, há outras diferenças nas lentes:

 

Multifocal ou Progressiva (para "vista cansada", presbiopia)

As lentes multifocais são lentes que podem ser usadas por pessoas com mais de 40 anos. Nessa fase da vida, todas as pessoas apresentam, cedo ou tarde, a presbiopia (ou "vista cansada" - problema que piora cada vez mais a capacidade de enxergar de perto). As pessoas com miopia enxergam bem de perto sem óculos, mas quando estão usando óculos para miopia e tentam ler de perto, não conseguem fazer isso depois dos 40 anos.

Nem todas as pessoas com mais de 40 anos precisam ou gostam de usar multifocais, mas essas lentes são muito boas para quem quer enxergar de longe, de meia-distância e de perto com os mesmos óculos, sem tirá-los ou trocá-los. As pessoas que precisam usar óculos o tempo todo, principalmente aquelas pessoas que têm grau para longe junto com o grau de perto, geralmente se adaptam bem aos multifocais.

Entretanto, os multifocais exigem um pouco de paciência para a adaptação. Para se acostumar com multifocais, o usuário precisa aprender como usá-los bem, o que é rápido para a maioria das pessoas. Mas existe uma pequena porcentagem de pessoas que não se adapta aos multifocais e prefere usar dois ou mais óculos - um para cada distância de visão.

Tecnicamente, existem diferenças entre as lentes progressivas e as multifocais, mas os termos são utilizados como sinônimos, no mercado.

Existem muitos tipos de lentes progressivas, com qualidades e preços diferentes. De forma geral, é mais fácil se acostumar com as lentes de boa qualidade, mas o técnico óptico pode auxiliá-lo na melhor escolha para o seu caso. Antes de escolher qual lente comprar, é preciso levar em conta os seguintes dados:

- tamanho, tipo e adequação do posicionamento da armação;

- rotina diária (hábito de leitura, uso de computador, atividade profissional, condução de veículos, tipo de condução, exposição ao sol, vento e poeira, trabalho em lugares de relevo acidentado ou locais elevados);

- prescrição dos "graus" a serem aviados;

- postura da cabeça e do corpo;

Existem lentes que exigem armações maiores (geralmente são mais confortáveis), outras que têm uma área de leitura mais ampla, entre muitas outras características. O técnico óptico é o profissional indicado para assessorá-lo na tarefa de escolher os óculos, mas algumas características serão descritas no tópico específico.

A montagem das lentes deve ser extremamente cuidadosa e a "curva base" é um detalhe técnico que não deve ser menosprezado. Qualquer desalinhamento na altura, posicionamento horizontal, ou rotação, nesse tipo de lente, provoca grande insatisfação e inadaptação. Entretanto, deve-se salientar que os óculos corretamente aviados também provocam mal-estar inicial e exige-se adaptação ao uso, por um período que pode chegar a um mês. Em caso de dúvida, naturalmente, o seu médico pode e deve ser novamente consultado.

Quando há troca de óculos, é preciso que o técnico óptico avalie qual é a "curva base" dos óculos antigos com esferômetro ou determinando qual é a marca e modelo das lentes, além do tipo de "túnel" e a distância que separa as zonas de visão para longe e para perto, nas lentes. Por isso, sempre que for trocar de óculos multifocais, leve seus óculos antigos ou o certificado de qual marca e modelo de lentes foram aviadas, para que a óptica verifique as características das lentes velhas. Se isso não for feito, muitas vezes o paciente não se adapta bem aos novos óculos, mesmo com a receita médica correta. Como regra geral, quanto melhor a lente de óculos, melhor a adaptação, mas isso só funciona se a óptica cuidar de todos os detalhes do aviamento. Exija atenção nos detalhes e cuidado no aviamento da receita. Sempre peça que o técnico óptico acompanhe sua compra. Esse é o melhor profissional para ajudar na escolha da sua compra e na personalização dos detalhes da montagem dos óculos.

 

Bifocais (para "vista cansada", presbiopia)

São lentes que apresentam dois campos de visão, um para longe e outro para perto. Teoricamente, são piores do que as lentes progressivas, mas ainda são muito utilizadas e há quem as prefira aos multifocais. Os bifocais podem ser mais confortáveis para algumas atividades que envolvam visão para perto, porém, são lentes que muitas vezes desagradam algumas pessoas preocupadas com a estética porque nota-se nitidamente a presença de uma "linha"  dividindo a lente dos óculos nas duas zonas de visão (longe e perto).

 

Tratamento Anti-reflexo

Esse tratamento elimina o reflexo da superfície, deixando a lente mais nítida. Ele proporciona uma estética melhor, é ideal para tratar lentes de graus mais elevados e lentes com maior índice de reflexo (lentes de alto índice refrativo, lentes de policarbonato etc.). Entretanto, o tratamento anti-reflexo predispõe os óculos a manchas que diminuem a vida útil das lentes, especialmente quando o tratamento não tem alta qualidade. Elas também vêm sendo indicadas para quem dirige à noite ou usuários de computador, mas o benefício real é controverso, nesses casos. As lentes com tratamento anti-reflexo geralmente também já vêm com proteção UV.

 

Tratamento Anti-abrasivo

O tratamento anti-abrasivo (ou anti-risco) serve para tornar as lentes mais resistentes aos pequenos arranhões do dia-a-dia. Entretanto, mesmo esse tratamento tem suas limitações. Acidentes ou descuidos mais sérios acabam por danificar qualquer tipo de lente.

 

Lentes polarizadas

As lentes polarizadas servem para diminuir o ofuscamento trazido pelo reflexo da luz do sol em superfícies refletoras, tais como o reflexo do sol sobre a água de uma piscina ou de um rio, o reflexo da luz do sol sobre para-brisas dos automóveis na rua, o incômodo dos faróis dos outros veículos, à noite etc. Prefere-se que essas lentes sejam montadas com os eixos dos filtros polarizantes posicionadas perpendicularmente, entre um olho e o outro. As lentes polarizadas são mais usadas na montagem de óculos solares. Geralmente os óculos solares com lentes polarizadas trazem conforto superior às lentes solares comuns.

 

Lentes especiais para uso de computador, direção noturna, óculos de segurança, etc.

Existem diversas opções no mercado de lentes que se adequam melhor às diversas situações em que nos expomos, nas nossas vidas. São lentes muito específicas e saem do escopo desse site. Pergunte ao seu médico ou ao técnico óptico quais são as vantagens e desvantagens de cada tipo de lente especial.

 

Tratamentos fotocromático e fotossensível

São muito usados pela praticidade: os óculos mudam de cor de acordo com a exposição ao ultravioleta. Com a presença dos  raios UV as lentes escurecem um pouco (existem diversos níveis de escurecimento - consulte o óptico a respeito das diferenças). Saindo do ar livre, as lentes ficam claras. Essas lentes têm uma vida útil limitada e não ficam tão escuras quanto lentes solares para óculos de sol, mas são interessantes para algumas pessoas que se expõem muito ao sol e não querem usar óculos solares propriamente ditos.

Apenas um detalhe: óculos fotossensíveis e fotocromáticos NÃO ficam escuros quando estamos dentro do carro, porque o vidro do pára-brisa geralmente reduz a radiação ultravioleta em 80%. O uso de ar condicionado também pode fazer com que a lente não escureça.

 

Viseira de capacete de motociclista com cor escura e vidro de automóvel com película escura

A viseira escura geralmente não protege contra radiação ultravioleta, portanto, não é a melhor opção. O melhor é usar bons óculos solares sob o capacete. Os vidros dos automóveis geralmente protegem boa parte da radiação ultravioleta. Películas para vidros de automóveis podem proteger da radiação ultravioleta, mas é preciso certificar-se das características do produto com o fabricante, antes de dispensar o uso de óculos com proteção UV e protetor solar de pele, dentro do automóvel.

 

Valid XHTML 1.0 Transitional CSS ist valide!